Hoje, eu escolho…

a escolha é sua pensamento positivo blog o eu melhor

Quantas situações você já viveu em que o seu comportamento foi parecido com o do motorista de ônibus, situação que eu contei no primeiro artigo deste blog?

Quantas vezes reagimos às situações com uma energia negativa sem necessidade? Não sei qual foi a sua resposta, mas eu estou aprendendo, não sem dificuldades, a controlar os pensamentos e, consequentemente, as ações negativas. Não é um exercício fácil, mas é extremamente necessário se quisermos ter uma vida com mais sentido e equilíbrio.

Enxergar os acontecimentos da vida de forma positiva não significa tapar os olhos para o que acontece ao seu redor, nem minimizar as dores e decepções que eles podem ocasionar. Este exercício e forma de ver a vida é a expressão da nossa capacidade de ser resiliente: ou você vive aquele evento e se fecha em si, ou você se projeta em algo positivo no seu futuro, próximo ou distante, e age na direção daquela realização. Mesmo quando o evento te faz “se fechar em si”, pensar positivo é o que vai te fazer procurar uma ajuda profissional adequada para melhorar sua vida. Ninguém procura ajuda sem intenção de melhorar.

De que forma você tem enxergado sua vida: de forma positiva ou negativa? Que direção suas ações e resultados têm tido? Você tem visualizado uma vida boa e agido nessa direção ou você só tem reclamado de tudo e de todos?  Até mesmo as reclamações sobre certos assuntos podem se tornar energia positiva, mas unicamente se você estiver agindo de acordo com o que acredita  e se movendo para provocar mudanças.

Hoje, você escolhe ver o copo meio vazio ou meio cheio?

Quando ser feliz?

blog o eu melhor ser feliz agora

O que você precisa fazer, ter ou conquistar na sua vida para ser feliz?

Você já parou para pensar se você realmente precisa atingir esse objetivo para, finalmente, ser feliz?

Pensar no fato de que você vai ser feliz apenas quando comprar aquele carro, fazer aquela viagem, encontrar seu par perfeito etc., é o mesmo que dizer que, caso você não conquiste a “tal coisa tão desejada”, você nunca vai ser feliz e, o que no meu ponto de vista é ainda mais grave, você não consegue ser feliz no momento presente.

Quem nunca ouviu alguém dizendo: “quando eu ganhar na loteria, eu vou mudar de vida, vou abrir o meu negócio, vou construir a casa dos meus sonhos…”? E a mesma pessoa que fala isso, apenas espera! Ela não define esses desejos como metas a serem atingidas, e esses desejos ficam apenas como coisas a serem conquistadas se a pessoa tiver a sorte (e haja sorte!) de ganhar na loteria.

Mesmo em situações em que as metas já estão definidas, em que o plano de ação já existe, o anseio por uma vida futura imaginada como uma vida perfeita depois de alcançá-las pode fazer com que você não veja a felicidade no seu caminho.

E como diz o Coach e escritor Paulo Vieira, “felicidade gera sucesso”!

“Felicidade gera sucesso” !

Pronto para continuar o seu caminho e encontrar felicidade nele a cada instante?

 

copie de o eu melhor minimalismo sobre equilibrio blog coaching (2)

E se você olhasse a vida por outro ângulo?

action-feet-fun-906023

Tem dias em que tudo parece estar dando errado ou que nossa vida “não decola”. Às vezes, acordamos de mau humor ou, logo pela manhã, acontece algo que consome nossa energia por horas ou até por dias. E então saimos por aí, carregando e espalhando essas emoções negativas. E então a vida nos estende a mão…

“E então a vida te estende a mão…”
O motorista

Há alguns dias, eu estava no ônibus voltando de uma missão de formação que ministro em uma empresa multinacional localizada na zona industrial da minha cidade e presenciei uma cena que me fez refletir muito sobre o assunto deste post. Neste local, o acesso ao transporte público é feito da seguinte forma: a linha do único ônibus que passa por lá tem pontos “fixos” em uma longa avenida e “flexíveis”, que são os pontos de cada empresa. Para que o ônibus passe nestes pontos, é preciso ligar pelo menos uma hora antes para a empresa de ônibus e fazer o pedido tanto na ida quanto na volta. Não é uma linha muito frequentada, apesar do sistema de transporte público francês ser muito bom e das campanhas de responsabilidade ecológica e meios de transporte.

Pois bem, eu estava voltando para casa e então o ônibus saiu da linha “fixa” para passar no ponto da empresa localizada o mais longe da avenida principal, onde um passageiro iria descer. Desde que entrei neste ônibus, percebi que o motorista estava nervoso e irritado: eu disse “bonjour” e ele nem ao menos respondeu. Quando parou no ponto em que o passageiro desceria, um senhor, de aproximadamente 50 anos, chegou correndo, entrou no ônibus , agradeceu, disse bom dia, pagou a passagem e o motorista então falou “é preciso reservar para pegar o ônibus neste ponto” em um tom de voz como se ele quisesse deixar claro que só faltava aquilo para seu dia piorar. O senhor disse apenas que não sabia e agradeceu novamente enquanto enxugava com um lenço a transpiração do rosto. O motorista seguiu o caminho resmungando.

A reflexão

Eu sempre fui uma pessoa muito observadora e analítica. E este acontecimento desencadeou em minha mente vários cenários que poderiam explicar o comportamento tão negativo deste motorista naquele início de tarde: talvez tivesse acontecido algo com ele pela manhã; talvez ele tivesse recebido uma má notícia ou levantado com o “pé esquerdo”; quem sabe a vida dele não estivesse avançando como ele gostaria ou até mesmo que ele não goste deste trabalho. Porém, o que mais tomou conta das minha reflexões foi o fato desta pessoa ter perdido a oportunidade de mudar o seu dia para melhor!

Se ele não tivesse passado por aquele caminho, aquele senhor – que certamente tinha terminado o expediente que começou na madrugada e que provavelmente tem um dos empregos considerados mais pesados e desvalorizados socialmente na França que é o trabalho na usina – teria esperando o próximo ônibus por 45 minutos sem saber que ele não passaria ali, a não ser que alguém fosse descer naquele local.

Será que se o motorista tivesse pensado nisso, o dia dele não teria melhorado? O trabalho dele não teria ainda mais sentido? Talvez, se ele tivesse olhado a situação por um outro ângulo naquele momento, ele poderia ter pensado “Que bom que passei por aqui, meu dia valeu a pena porque aquele trabalhador cansado vai chegar em casa mais cedo e talvez almoçar com a família e descansar”.

E você? Tem olhado a vida por outros ângulos? Não é fácil mudarmos nossos hábitos mas com paciência e persistência podemos aprender a enxergar a vida por outros ângulos e nos tornarmos pessoas mais felizes e empáticas.